Grupo H
outubro 4, 2017
PONTE METÁLICA EM FORTALEZA CE
outubro 4, 2017

PRAIA DE IRACEMA EM FORTALEZA CE

Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel, foi imortalizada no romance de mesmo nome, obra mais conhecida do mais famoso escritor de Fortaleza, José de Alencar. Nova Estátua de Iracema Iracema é ficção de Alencar ou foi de fato personagem histórica? Um pouco de ambos. Os livros de História registram que o Português Martim Soares Moreno foi um dos grandes heróis na guerra contra os invasores holandeses, na primeira metade do século 17; é também sabido que Martim Moreno, ao tomar contato com a cultura indígena, optou por viver entre os índios.

Martim Moreno é também o herói da obra de Alencar, e Iracema, a virgem dos lábios de mel e cabelos negros como a asa da graúna, é sua esposa. Para muitos, ao narrar a saga do casal, Alencar procurou retratar a formação da cultura cearense, pela união das culturas branca e indígena; o filho do casal, Moacir, fruto da miscigenação, seria a gênese do povo do Ceará; na obra, Iracema morre, e o lugar em que é enterrada, sob um coqueiro e à margem de um rio, passa a chamar-se Ceará.

A imagem de Iracema está tão associada a Fortaleza que existem atualmente cinco estátuas da índia na cidade (veja esse roteiro turístico dedicado a Iracema, símbolo de Fortaleza). Até o final do século passado, a estátua da Praia do Mucuripe, inaugurada em 1965, era a mais conhecida, ponto obrigatório de visitação. Em 1996, uma nova estátua foi inaugurada à beira-mar da Praia de Iracema. Diferentemente das demais, que mostram Iracema e família, essa obra mais recente, denominada “Iracema, a Guardiã”, mostra a heroína segurando um grande arco, olhando para o mar, como se estivesse em posição de batalha. Vista noturna da Ponte dos Ingleses. Desde o entardecer, moradores locais e visitantes começam a rumar para Iracema, em busca das diversas opções de restaurantes e diversão noturna; as ruas de Iracema ficam tomadas até o amanhecer.

Embora tenha sido sempre a área preferida pelos boêmios de Fortaleza, Iracema viveu um período de decadência até os anos 1980; naquela época, o Governo deu impulso a um programa de revitalização da área, com obras públicas e incentivos a novos empreendimentos. Vários edifícios antigos foram reformados (aproveitando-se de isenções de IPTU), vários restaurantes, clubes noturnos e lojas foram abertos. O Centro Cultural Dragão do Mar foi construído pelo governo, e transformou-se num dos maiores centros do gênero no país. A antiga Ponte dos Ingleses foi reconstruída, ganhou lojas e outros serviços, e transformou-se também num dos pontos mais procurados pelos turistas.